Pilates

A prática do Pilates é indicada para pessoas de qualquer idade, ou que exerçam as mais variadas atividades e com objetivos diversos, uma vez que o método é adaptado às necessidades de cada indivíduo. Sendo assim, atletas, gestantes, idosos, ou qualquer pessoa que deseja elevar o seu conforto e controle físicos, pode tornar-se um praticante de Pilates, tendo acesso a seus múltiplos benefícios.

 

História

O método foi desenvolvido por Joseph Pilates entre as décadas de 1920 e 1930. Nascido na Alemanha em 1883, ele teve uma infância difícil devido à sua saúde precária. Já na vida adulta e durante um longo processo, sua determinação em tornar-se cada vez mais saudável o levou a elaborar formas inéditas de exercícios físicos eficazes no desenvolvimento da consciência corporal, equilíbrio, força e flexibilidade. Sem, no entanto, induzir à hipertrofia muscular. Uma das diversas experiências impressionantes que Joseph Pilates viveu, e que o ajudaram a refinar seu método, foi o fato de ter ensinado defesa pessoal aos detetives da Scotland Yard, a polícia metropolitana de Londres, logo após mudar-se para a Inglaterra em 1912, onde foi também artista de circo e lutador de boxe profissional. Durante a Primeira Guerra Mundial, enquanto prisioneiro que foi, de forma bastante inusitada, Joseph Pilates iniciou, utilizando molas de camas de hospital, a criação do que seriam mais tarde suas famosas “máquinas”. Após a guerra essa técnica, então bastante consolidada, ficou conhecida entre dançarinos e ganhou adeptos entre os praticantes de fitness nos EUA e Europa, chegando ao Brasil tempos depois.

Princípios

Com base nos ensinamentos deixados pelo mestre e criador do método, Joseph Pilates, a seguir apresentaremos um resumo de cada um dos princípios por ele definidos, e que norteiam a prática correta, visando os melhores resultados durante o processo.

01-precisao

A qualidade do movimento é o que devemos buscar. Isso é muito mais importante do que a quantidade de exercícios que executamos. Em muitas áreas da vida qualidade é melhor que quantidade. “Não muito e não muito pouco” era o que pregava Pilates.  

02-centro

Força do centro para as extremidades. O ponto de partida deve ser o centro. Por mais redundante que pareça, esta é a maneira mais eficiente de se adquirir o controle de seu corpo que, nesta atividade, é fundamental para se atingir bons resultados.  

03-controle

Para obtermos maior rendimento na atividade física devemos conectar apenas os músculos necessários para determinado movimento. Pois, como disse o próprio Joseph Pilates, “Idealmente nossos músculos deveriam obedecer a nossa vontade. Racionalmente nossa vontade não deveria ser dominada pela ação reflexa dos músculos. A Contrologia tem início com o controle da mente sobre os músculos.”  

04-concentracao

“Você tem que se concentrar naquilo que está fazendo o tempo todo e deve se concentrar no seu corpo inteiro”, dizia Pilates. Hoje sabemos que a concentração traz o controle e a coordenação neuromuscular, que garante por sua vez, movimentos seguros (Graig, 2004).   05-respiracao Atingir um padrão de respiração correto depende do aprendizado atento e contínuo. Joseph Pilates orientava para que pressionássemos os pulmões como se estes fossem uma “toalha molhada”, e preconizava: “Respirar é o primeiro e o último ato da vida”.  

06-fluidez

Todo movimento deve ser executado com a base técnica que o define, mas principalmente de maneira controlada e contínua. “Os movimentos apropriados são naturais às pessoas como são aos animais. Observando um gato ao acordar e espreguiçar, quão sabiamente ele realiza as etapas graduais, lenta e fluente, dentro desse próprio movimento”, nas palavras de Pilates e Miller.

Nossos Parceiros